Susana Campos . Portugal. 1967. Pintora. Professora

IMAGENS
 
Os meus diários gráficos são como viagens: tenho uma pequena idiossincrasia, a de começar um diário com uma particular inquietação e, quando ela se esgota, largo aquele objecto. Nova viagem – começo outro.


As viagens são diversas. Pode ser um tema na representação, um período particular, uma oportunidade; as mais frequentes são as que concernem séries específicas de pintura.

Nestas, os desenhos são muito diferenciados; podem ser estudos, esboços, registos de observação, ideias, apontamentos escritos ou desenhos que só eu entendo: que contêm um esquema compositivo, tonal ou cromático de uma pintura “in progress” e, em sobreposição, as alterações que me proponho fazer.

Por vezes é o livro que acaba e define o termo da viagem - que foi, em alguns casos, despoletada pelo formato do mesmo ou pelas características do seu papel.

Muito mais vezes me acontece encontrar um diário parcialmente preenchido. Então, se ele for particularmente apelativo, resolvo retomá-lo e viro-o ao contrário, para que o fim se configure como um novo princípio. Raramente consigo ultrapassar as primeiras páginas. Como se cada nova viagem precisasse de um vazio perfeito para se iniciar.

Março 2005.