Clara Marta. Espanha. 1966.
Professora na Escola Superior de Design em Aragão, Zaragoza (Espanha); Organizadora do encontro “DeVuelta con el Cuaderno” em Jaca (Espanha); Colabora nos blogues
http://devueltaconelcuaderno.blogspot.com/
http://urbansketchers-spain.blogspot.com/

IMAGENS
 

(tradução livre do castellano)

Gosto dos cadernos: vê-los, tocar-lhes, preenchê-los, possui-los. Gosto sobretudo de divertir-me olhando-os. Não me canso ainda que os veja mil vezes. Gosto mais dos dos outros do que dos meus. Observo-os discretamente e devolvo-os com todo o respeito para que continuem a ser prenchidos. Apreendo tudo o que vejo neles. Gosto de ocupar os meus porque são os únicos que posso desfrutar sem nenhum pudor. Ocupo-os com entusiasmo, concentrada, sem pretensões e assim surpreendo-me com o meu trabalho. Custa-me reconhecê-los como próprios, acabo por assumí-los e também aprendo com isso. São as minhas chaves para entender os meus pensamentos. São os meus pensamentos para perceber, na medida do possível, as chaves do que acontece. O que me acontece. Não acabo por dominar o seu breve espaço, e isso gosto, obriga-me a praticar e a superar-me. Cada página encontra-se com a sua distinta variável. Não chego a decidir o que faço. Muitas vezes penso que os cadernos têm pequenos duendes que me manejam como bem lhes apetece. Isto é meu? Eu desenhei isto? No dia em que anteveja, ante a folha em branco, o que vou desenhar, deixarei de o fazer sistemáticamente nos cadernos. Vão-me aborrecer. Entretanto vou-me deixar seduzir por esse diálogo fresco, sincero entre o papel e eu. Seguiremos nesse jogo e diálogo que desde há muito tempo levamos entre mãos.